A artroplastia reversa uma opção quando não há indicação da prótese total ou parcial

A artroplastia reversa (ou prótese reversa) é um procedimento cirúrgico alternativo para casos de degeneração articular. Tem indicação quando a prótese total ou parcial do ombro, também conhecida como prótese anatômica, não é a melhor opção de tratamento.

O procedimento é indicado principalmente em casos de artropatia do manguito rotador – condição degenerativa articular causada pela ruptura dos tendões do manguito rotador, gerando dor no ombro e perda da capacidade de levantar o braço.

Pode gostar: MANGUITO ROTADOR, QUANDO A CIRURGIA É INDICADA E COMO É

As cirurgias do ombro evoluíram muito nas últimas décadas. O desenvolvimento de técnicas novas, a criação de próteses mais eficientes, somados ao aperfeiçoamento por parte dos médicos, trouxeram melhores resultados. Isto permitiu uma melhor qualidade de vida para muitos pacientes.

Primeiro, para você entender melhor, vamos pensar na anatomia de um ombro normal. É essencialmente composto por uma parte esférica (a cabeça do úmero), encaixada em uma área côncava (a cavidade glenoidal, ou glenóide). As próteses anatômicas reproduzem este formato e, assim como num ombro normal, dependem da integridade do manguito rotador para seu funcionamento em alguns movimentos.

via: https://bit.ly/2J7KX1C

Como é a cirurgia de prótese reversa/inversa do ombro?

No caso da prótese reversa, esta relação é invertida. A superfície côncava passa a ser a do úmero e a superfície esférica passa a ser a glenoidal.

via: https://bit.ly/2zpkmh5

Qual é o tempo de recuperação?

O tempo de recuperação gira em torno de 6 semanas. O paciente deverá usar uma tipoia durante esse tempo e iniciará alguns movimentos passivo do ombro, como elevação e rotação, após duas semanas.

Vale ressaltar que após a retirada da tipoia, o paciente é encaminhado para a reabilitação com fisioterapia. O tempo para recuperação total varia para cada paciente, levando em conta idade, condição física e outros fatores.

Como funcionará o ombro após a colocação da prótese reversa?

Após a artroplastia reversa, teremos características biomecânicas diferentes. Como o manguito rotador não está funcionando bem (está disfuncional), o que se espera, depois da recuperação total da cirurgia, é que alguns movimentos do braço sejam gerados por outros músculos. Basicamente, o que acontece é que o músculo deltoide irá compensar o manguito rotador disfuncional.

via: www.commons.wikimedia.org

OUTRAS INDICAÇÕES DE PRÓTESE REVERSA

Como falei antes, a primeira indicação de prótese reversa é para casos de artropatia do manguito rotador. No entanto, ela também poderá ser eficaz no tratamento de:

  • grande distorção da anatomia articular do ombro em que a artroplastia anatômica não conseguiria reconstruir a anatomia articular normal.
  • pacientes idosos com fraturas agudas no ombro em 4 partes, porque os resultados são mais previsíveis do que com o uso da artroplastia anatômica para esse grupo de pessoas.

Artroplastia reversa no mundo e no Brasil

Esta técnica foi desenvolvida na Universidade de Dijon na França, em 1986, pelo professor Paul Grammont, mas, só foi aprovada nos Estados Unidos quase 20 anos depois, em 2003, pelo FDA –órgão nacional regulamentador de alimentos e fármacos dos Estados Unidos.

Atualmente, a artroplastia reversa está aprovada pela ANVISA mas, embora também esteja inclusa na lista terapêutica do SUS, o implante não é relacionado no seu rol de procedimentos¹. Também, existe uma incapacidade da maioria dos hospitais públicos de tratar os pacientes com indicação deste tipo de cirurgia.

Diante dessa situação, por enquanto apenas os pacientes de alguns planos de saúde e/ou aqueles que tiverem condições de arcar com os custos da cirurgia e demais despesas médicas, se beneficiarão desta técnica que trouxe um grande avanço para a cirurgia do ombro.

 

¹ http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-36162017000300298&script=sci_arttext&tlng=pt